As Sete Qualidades do Adulto

Quando estou fazendo trabalho de Coaching Executivo, percebo que o principal problema profissional não é técnico e nem mesmo de relacionamento: É emocional.

Mas na maior parte das vezes não são questões emocionais com outras pessoas, se bem que isto ocorre vez por outra. O principal problema é aprender a lidar com as próprias emoções, com a capacidade interna de controle das frustrações, das dúvidas perante o futuro e com a incerteza sobre as prioridades pessoais.

Percebemos que isto advém de questões profundas de personalidade, decorrentes de dificuldades de formação emocional desde a infância. Em suma, são questões de Inteligência Emocional.

Mesmo que o Coaching não seja efetivamente terapia – e esta é uma questão muito em voga hoje em dia – boa parte do que dificulta a uma pessoa conseguir realizar as suas metas é decorrente da estrutura emocional.

Há um texto antigo que diz que as pessoas possuem, dentro de si, cinco idades diferentes.

Uma das idades é a idade física, cronológica, referente ao passar dos anos no corpo.
Outra é a idade fisiológica, da juventude de suas próprias células.
Mas além destas possuimos outras idades. A terceira é a idade mental. E esta costuma estacionar quando paramos de aprender ideias novas. Na maior parte das vezes está estacionada lá pelos nossos vinte anos de idade, quando a maioria para de estudar e continua perpetuando as mesmas formas de pensar durante toda a vida… A quarta idade é a idade emocional. E para a maioria das pessoas estaciona muito cedo na vida. Em suas reações emocionais à problemas reagem como uma criança pequena – fica amuada e tristonha ou irritada e agressiva em momentos de frustração e estresse, e não consegue manter um posicionamento racional perante a situação.
E a quinta e última idade é a idade espiritual. Esta não tem nada a ver com ter ou seguir uma religião e sim com a sensação interna de empatia e respeito com todas as pessoas e coisas. A conexão espiritual é a nossa ligação com o universo e nosso sentimento interno de respeito e colaboração com tudo e todos, sem interesse ou egoísmo.

Neste momento, neste texto, o que nos interessa mais é discutir a idade emocional. Esta, na maioria das pessoas, estaciona na primeira fase de socialização (seis a nove anos) ou na segunda fase de socialização (onze a quatorze anos). As pessoas são mais ou menos gregárias, mais ou menos introspectivas e mais ou menos resistentes à frustração dependendo da forma como aceitam e “congelam” a sua personalidade emocional.

É nosso dever “descongelar” a nossa idade emocional e continuar crescendo, se possível até uma idade adulta. Mas como fazer isso? Existem algumas práticas e alguns objetivos que podem ajudar.

Abaixo listei as sete principais questões que uma pessoa precisa desenvolver, seja na infância ou, caso não tenha conseguido, deve desenvolver na idade adulta, para se considerar uma pessoa efetivamente madura:

  • Aprender a resistir à própria frustração se alguma coisa não dar certo e sem ficar irritado, deprimido ou desistir de tudo;
  • Controlar os impulsos de satisfação imediata, para não procrastinar, adiar ou abandonar atividades de importância por satisfações inconsequentes;
  • Pensar nos prós e contras de tudo o que está fazendo e escolher as coisas por serem verdadeiras no longo prazo e não para preservar a autoimagem e o ego;
  • Manter a atenção total no que faz no momento, seja o que for, tanto para fazer bem feito, não cometer erros por distração, cansaço, inépcia, autoindulgência quanto por evitar retrabalho e antecipar problemas futuros;
  • Assumir a responsabilidade pelas próprias ações – não para se desculpar e nem para se sentir mal por eventuais erros, mas para consertá-los o mais rapidamente possivel e aprender com eles, para fazer melhor da próxima vez;
  • Completa honestidade no que pensa e faz, tanto consigo mesmo quanto com outras pessoas. Mas mantendo a gentileza e educação, pois sinceridade não é grosseria;
  • Aprender a aprender, isto é, estudar e conhecer as melhores formas de aprender e estudar, pois isto é mais importante do que apenas saber muito de algo e parar no tempo. A aprendizagem é uma técnica e pode ser desenvolvida.

Se uma pessoa praticar estes sete itens – e sobre cada um deles há dezenas de livros, vídeos e cursos – com certeza irá desenvolver a sua “adultice” e isto é essencial para termos uma sociedade madura e produtiva.

Em resumo, cresça.

Leave a Comment

Filed under Coaching

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *